Notícias

Tarifa Social: Morador do Bairro Operária é o primeiro a aderir

ECONOMIA
Morador do Bairro Operária é o primeiro consumidor que adere à tarifa social do Samae

Araranguá

Pandemia, falta de melhores oportunidades de emprego, elevação de preço dos produtos básicos e contas para pagar. Enfim, a crise que impacta o Brasil atinge a renda de muitas famílias e exige esforço redobrado para arcar com as despesas do mês.
Para amenizar a situação econômica, os consumidores podem adotar uma série de medidas. Exemplo disso é a adesão à tarifa social do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Samae), que possibilita desconto no pagamento aos moradores de baixa renda, de acordo com determinados requisitos.
Em Araranguá, o primeiro consumidor que está utilizando a tarifa social do Samae é Paulo Cesar Borges, que reside no Bairro Vila Operária. Após providenciar a documentação e conquistar o benefício, ela não esconde sua alegria.
O novo benefício pode gerar descontos de até 50% sobre o valor da tarifa normal, dependendo do consumo da unidade e consequente valor da taxa.

Em vários municípios já houve adoção da tarifa social, porém os requisitos exigidos para adesão são mais rigorosos, impossibilitando a participação de milhares de contribuintes.
Na Cidade das Avenidas foi feita a flexibilização destas condições, proporcionando que mais famílias com baixa renda possam usufruir deste desconto na tarifa. “A implantação da tarifa social demonstra sensibilidade, num momento de dificuldade financeira, agravado especialmente em decorrência da pandemia do Coronavírus”, observa o diretor geral do Samae, Jairo do Canto Costa, Jairinho.

Antes de tornar-se lei municipal, o tema foi criteriosamente avaliado. Na Câmara, a matéria formulada, no mês de abril, pelo então vereador em exercício, Ozair da Silva, Banha, foi debatida junto ao diretor do Samae, Jairo do Canto Costa. Em seguida, a proposta foi votada e aprovada por unanimidade na Casa Legislativa. Depois, houve encaminhamento ao Executivo Municipal, posterior análise, sanção e providências legais por parte do prefeito de Araranguá, Cesar Cesa.
Nova realidade no município, a tarifa social do SAMAE de Araranguá possui alguns diferenciais em relação ao mesmo modelo implantado nos demais municípios.

Lei mais ampla
O principal deles é que, na Cidade das Avenidas, o novo modelo propõe a inclusão de duas variantes: a primeira destinada aos consumidores que utilizarem até 10 metros cúbicos de água e a segunda aqueles que usarem até 20 metros cúbicos de água.
E não é só isso! Os imóveis abrangidos por esta lei poderão ter até 70m2, contrastando com a realidade da maioria das demais cidades, onde as edificações devem possuir, no máximo, 40 metros quadrados.

O que é preciso?
Para solicitar a concessão da tarifa social é essencial estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico), possuir renda per capita de até meio salário mínimo (por pessoa na casa), além de conquistar aprovação do cadastro junto à Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação. Depois é preciso requerer o benefício diretamente no Samae.

Outras Notícias