Notícias

Reservatórios do SAMAE Araranguá passam por reforma

O SAMAE de Araranguá conta com três reservatórios de água localizados no Morro Centenário, sendo dois de concreto – um de 500mᴣ e outro de 1500mᴣ - já o de aço vitrificado que foi adquirido ano passado também tem capacidade para 1500mᴣ (Um milhão e quinhentos mil litros de água).


Os reservatórios de concreto – um da década de 70 e outro construído em 2001 – nunca passaram por uma grande reforma. E foi pensando na segurança e bem-estar da população araranguaense que o Diretor do Samae José Hilson Sasso, juntamente com a equipe de engenharia da autarquia resolveu investir na reforma dos reservatórios.


            Segundo Sasso, os reservatórios passarão por reformas no piso, recuperação das fissuras, impermeabilização, recuperação estrutural, pintura das estruturas de concreto, pinturas das passarelas e escadas metálicas, tubulação e gradeamento. “Os reservatórios R1 e R2 nunca haviam passado por uma grande reforma, com isso vimos a necessidade de investir no local para garantir a segurança e o abastecimento da população”, disse. Sasso salientou que os recursos investidos serão de aproximadamente R$ 186 mil e a reforma deverá estar concluída em 90 dias.


Como funciona


Araranguá é abastecida por duas estações de tratamento (Lagoa da Serra e Açude Belinzoni), onde as duas jogam água para a rede, quando o consumo na rede diminui, essa água vai para o reservatório e enche os tanques. Assim que enche os reservatórios, é desligada uma estação de tratamento e passa a operar somente com uma e mais o reservatório. E quando o consumo é alto, os reservatórios ajudam as ETAS mantendo sempre água na rede, para que não falte ao consumidor.


O diretor do Samae explica que quando há falta de energia na cidade as Estações de Tratamento de Água param, pois elas são mantidas com motores elétricos e nestes casos os reservatórios são os responsáveis por manter a cidade abastecida. “Neste volume atual, conseguimos manter a cidade tendo água por até 12 horas. Até hoje não tivemos registro que tenha faltado água por esse motivo”, detalhou. Só há falta de água nos bairros quando estoura a rede, onde é isolado o bairro, e naquele ponto falta. Mas, no restante da cidade é mantido normalmente o abastecimento.


 


Sasso salienta que os reservatórios ficam no ponto mais alto da cidade e o Samae, consegue mandar água com pressão boa e normal para o último ponto do município, que é o bairro Sanga da Toca. 

Outras Notícias